De algum tempo até então, um termo tornou-se muito popular no conhecimento dos brasileiros, justamente por revolucionarem o meio financeiro utilizando-se de artifícios da tecnologia digital para gerar novos produtos e possibilidades.

Fintech, talvez pareça algo diferente quando escutamos o nome, porém trata-se da junção de duas palavras, Financial Technology, traduzindo ao português como “Tecnologia Financeira”, apesar de podermos afirmar que é algo muito além do que apenas isso.

Referimo-nos como Fintech as empresas ou startups que desenvolveram ou estão em estado de desenvolvimento e aplicação de produtos e serviços financeiros inovadores, nos quais imbricam tecnologia e finanças para atingir determinado objetivo ou solucionar/preencher lacunas de problemas e serviços já existentes ditos como tradicionais.

Este modelo de negócios propicia à população e às pessoas jurídicas; usuários de serviços bancários em geral, a possibilidade de utilizar os meios digitais para pagamentos e transações sem ao menos adentrar em um banco ou instituições bancárias, além de retirar toda a burocracia relacionada a limites de cartões, de empréstimos e afins, assegurando uma maior segurança do que a já existente para você e aos seus dados.

A ideia de oferecer conforto e praticidade nos serviços de todas as esferas em nossa sociedade já vem ocorrendo há anos, principalmente no período atual conhecido como 4º Revolução Industrial. O fato da criação dos caixas eletrônicos já foi um meio de vincular a tecnologia e o sistema financeiro, a fim de diminuir filas em bancos e dar agilidade aos serviços. O mesmo então ocorre agora, porém, necessitando muito mais do que outrora de inovações e possibilidades, uma vez que a sociedade atual vive em estado abrupto em que tudo se transforma sem ao menos percebermos que está acontecendo.

Tendo em vista esta concepção, nos informarmos, conhecermos e utilizarmos as novidades que vêm surgindo é vital para que não sejamos esquecidos no passado.

Umas das vantagens já oferecidas pelas Fintechs, por exemplo, foram os cartões de créditos sem anuidade e as contas digitais gratuitas, pois não há necessidade de estruturas físicas como antes ou gastos exacerbados pelas instituições financeiras, tendo em vista que tudo ocorre virtualmente, assim sendo, é possível exaurir de taxas determinados serviços. Ainda, graças à tecnologia contemporânea, a agilidade e o conforto ao cliente fazem com que haja grande aceite da população, juntamente ao fato de a era da informação distribuir facilmente o novo produto que existe.

Vale ressaltar que como as Fintechs tratam-se de serviços financeiros, assim como qualquer outra instituição do ramo, são reguladas pelo Branco Central, possuindo regras preestabelecidas de atuação.

Caso encontre alguma empresa do tipo e quer ter a certeza da veracidade da mesma, tendo em vista possíveis golpes que permeiam tudo envolto a bens, basta acessar o banco de dados do Banco Central e procurar pelo nome da mesma ou pelo CNPJ. Para facilitar o acesso, basta clicar aqui: Consulta de Instituições reguladas.

Tal análise faz-se necessária haja vista que mesmo em âmbito físico é possível encontrar pessoas de má-fé, as quais realizam golpes e fraudes prejudicando a vida de todos nós. Em acréscimo, como já dito, estamos na era da informação, em que recebemos muito conteúdo, portanto, caso não filtremos e nos informemos sobre, há muitos erros que podem ser cometidos em decorrência a este fato.

E você, caro leitor, conhecia este termo que está tão presente no mercado financeiro atual? Já utilizou de algum destes serviços? Tenho certeza que sim.